Fármacos actuais poderão retardar a deterioração cognitiva em direcção à Doença de Alzheimer


Uma boa parte da investigação científica actual tem sido centrada no diagnóstico precoce da Demência, nomeadamente da Doença de Alzheimer. A busca de factores associados indiscutivelmente com a doença em causa e, por isso, de grande utilidade diagnóstica – os chamados “biomarcadores” – tem produzido resultados muito interessantes nos últimos anos, fornecendo o substrato para a criação de uma nova proposta de critérios de diagnóstico de DA no âmbito da investigação clínica (ver Dubois B, et al. Lancet Neurology 2007;7:734-746).


No entanto, os avanços terapêuticos não têm sido suficientemente frutuosos para que o impacto clínico da utilização dos biomarcadores seja claro e indiscutível, até porque os custos envolvidos nesta abordagem são consideráveis. Os ensaios clínicos que estudaram o emprego dos inibidores das colinesterases nas fases pré-demenciais da deterioração cognitiva (estadio operacionalmente designado por “Défice Cognitivo Ligeiro”, DCL) não conseguiram demonstrar uma utilidade inequívoca no atraso da progressão para demência.


A meta-análise publicada agora por Diniz e colaboradores obtém conclusões bastante diferentes, uma vez que demonstra a utilidade destes medicamentos na tentativa de atrasar a progressão desde DCL até DA. Os autores fizeram uma análise conjunta dos resultados obtidos em quatro ensaios diferentes, num total de mais de 3500 doentes estudados, e chegaram à conclusão que o grupo não tratado com inibidores das colinesterases apresentava um risco de progressão maior para DA dos que os tratados com estes fármacos (20,4% vs. 15,4%).


Este é um passo importante que pode fazer re-acender o interesse neste assunto, conduzindo a novas investigações específicas nesta matéria. Por outro lado, trata-se obviamente de um achado que poderá ter um elevado impacto em termos de saúde pública mundial.


Artigo original: Diniz BS, et al. To treat or not to treat? A meta-analysis of the use of cholinesterase inhibitors in mild cognitive impairment for delaying progression to Alzheimer's disease. European Archives of Psychiatry and Clinical Neuroscience 2009 (Feb 17 e-pub ahead of print). DOI 10.1007/s00406-008-0864-1.